www.josehenrique.com
www.josehenrique.com

  Eunápolis: 21 de Abril de 2014
www.josehenrique.com

A ODISSÉIA DE UM HOMEM E SUA VISÃO FUTURISTA.
O maior povoado do mundo

Apenas para enriquecer esta página, este pequeno apêndice extraído de um livro, e que segundo nos afiança o escritor, o qual podemos chamar  de pesquisador e historiador, Alcides Lacerda, político, é um homem que merece estar no  “Livro dos recordes” por ter lançado num dia só nada mais, nada menos, que 18 livros de uma vez só, depois lançou mais 36, e que agora prepara um novo record com o lançamento de 30  livros e toda edição com suas limitadas expensas, ele conta uma boa parte da história de Eunápolis, iniciando com a chegada de um fugitivo de nome Joaquim Sacramento Bitencourt, apelidado de Joaquim Quatro, o apelido era porque Joaquim tinha tudo em numero de 4, até mesmo mulheres que moravam numa mesma casa, na região denominada Sapucaieira, onde  era apenas um cotovelo de terra, uma picada no meio da mata, onde havia uma parada de hospedaria de tropeiros, vendedores, boiadeiros, onde se hospedavam todos que vinham de Minas Gerais para terras baianas. Segundo o historiador Alcides Lacerda, Joaquim Sacramento cometeu o primeiro crime na região ao ser agredido por um arruaceiro e brigador, depois de ser esbofeteado, desferiu dois tiros calibre 44 matando na hora o agressor e teve de fugir para não ser preso. Antes de ser o MAIOR POVOADO DO MUNDO, o nome da região era  Km 64, isto devido ao fato de, quando os engenheiros vieram fazendo a medição de Porto Seguro-Bahia até o local onde outrora foi o Clube Social,  tinha exatamente 64 quilômetros, depois passou a ser o maior povoado do mundo e hoje Eunápolis, ai o nome de Sapucaieira foi esquecido, fazendo apenas uma referência ao rio sapucaieira, e isto já no ano de 1.945. Terra de muitos coronéis, a hoje, Eunápolis, ainda carrega o estigma de que um dia será uma grande cidade. E, à guisa de esclarecimento, daqui para frente, será contada uma outra história, a de como começou tudo isto, e Alcides Lacerda, como cultor do alicerce desta saga, não poderia ficar de fora desta tão inebriante historia da transformação de como O MAIOR POVOADO DO MUNDO, SE TRANSFORMOU  NA CIDADE DE EUNÁPOLIS.
O que foi o maior povoado do mundo, tornou-se uma cidade, é hoje uma cidade acolhedora, onde residem pessoas de todas as classes, etnias, raças, cores, ideologias e origens; nesta cidade, venha de onde vier, todos são sempre bem vindos, e que tem nos anais de sua história, uma saga aventureira que dignificará eternamente o nome de alguns desbravadores sertanejos imortalizados, não só pelos seus nomes em ruas e bairros, mas pela capacidade de sentir, que era chegada a hora do progresso aportar em terras inóspitas e que no futuro, a história seria contada de várias formas, mas com o mesmo conteúdo. Aqui, retratando a fé de um povo, está a primeira Igreja construída na região.
No dia 12 de maio de 1.988, o então governador do Estado, Valdir Pires, contando com todas as demais lideranças políticas, sanciona o decreto lei 4.770, que dá definitivamente a emancipação de Eunápolis, premiando o projeto do Deputado Estadual José Ramos Neto.
Em 1º de janeiro de l.989, tomam posse no auditório da CEPLAC, os primeiros administradores da cidade; prefeito e vereadores e que no mês de fevereiro deste mesmo ano, a nova cidade ganha seu primeiro orçamento financeiro sendo que: Ncr$ 5.465.060,00, para o executivo, Ncr$ 322.880,00 para o legislativo; os setores contemplados com mais verbas foram: esporte e lazer Ncr$ 1.141.500,00; gabinete do prefeito 1 milhão; saúde e saneamento Ncr$ 613.800,00.
Em agosto do mesmo ano, chega em Eunápolis a primeira escola técnica, CEFET, cuja obra custou à época ncr$ 5 milhões, sendo que a primeira parcela de Ncr$ foi imediatamente liberada, ficando o restante em disponibilidade, para depois da aplicação integral da primeira liberação.
Em 6 abril de 1.990, foi promulgada a primeira lei orgânica do município, em ato presidido pelas autoridades administrativas locais. Em agosto, instala-se a primeira Junta Comercial de Eunápolis, JUCEB, buscando atuar com mais agilidade dentro de suas atribuições comerciais. E, no mês de outubro, foram registrados os dois primeiros casos de AIDS no município, sendo que as autoridades médicas, buscaram omitir o fato, mas o então secretário de saúde Dr. Cid Gama mostrou-se preocupado com o fato.
Em outubro de l.990, por decreto do então presidente Itamar Franco, a exploração de madeiras da mata atlântica fica proibida por tempo indeterminado, dando, assim, início à proteção ambiental de uma floresta altamente rica em bio-diversidade, e que estava sendo totalmente destruída sem nenhum projeto de recuperação, o que gerou conflitos madeireiros à época, dando à cidade uma imagem devastadora diante de tal fato.
Já no dia 2 de setembro, falece em Eunápolis um de seus fundadores, o agrimensor Moisés Reis, e que aliás, fez a primeira locação para a primeira estrada no município, sendo que entre suas idas e vindas às várias regiões do Estado acabou comprando uma área de terra onde fixou residência e fez os primeiros traçados para a construção de ruas e estradas da área que seria desmembrada de Cabrália e Porto Seguro, onde acabou sendo eleito vereador, sendo que, em sua homenagem, batizaram um dos mais antigos bairro da cidade, o bairro Moisés Reis.
Em dezembro de 1.991, implanta-se na região a Vera Cruz Florestal, que prevê um plantio grandioso de 2 milhões de mudas de pés de Eucalipto, numa área inicial de 2.060 hectares, chegando no futuro a 65 mil hectares, e se tornando hoje no projeto Veracel Celulose, que dentro em breve poderá estar produzindo 900 mil toneladas ano de celulose para a fabricação de papel, o referido projeto teve sua iniciação com a compra de 47 mil hectares de terras das florestas da Rio Doce, então subsidiária da Vale do Rio Doce, espalhadas por 5 micro-regiões do município; não obstante o que foi o maior povoado do mundo, será em breve também o maior produtor de celulose do mundo, tendo como sócia a Stora-Enzo, da Finlândia e o Governo Brasileiro através do BNDS. Porém, com o advento da Veracel Celulose e o plantio de eucalipto, Eunápolis perdeu o que era até então uma égide de progresso regional, uma das maiores produtoras de frutas do mundo, acabando com mais ou menos 20 mil empregos diretos. Eunápolis nasceu para ser grande e o será um dia.
Já em l.995, dando continuidade a implantação de cursos específicos, a UNED/EUNÁPOLIS, instala cursos profissionalizares a nível de 2º grau, com 3 anos de duração, e com uma duração de 4 meses para especialização em turismo e enfermagem para quem já tem o 2º grau completo.
Em 17 de janeiro de l.996, é inaugurado na cidade o fórum Desembargador Dr. Mário Albiane, onde é instalado o Tribunal de Justiça, com a presença do próprio homenageado na abertura da sessão, o novo fórum foi construído no bairro Dinah Borges, em terreno doado pela prefeitura municipal.
Em Outubro de l.997, na Av Duque de Caxias, na feira do bueiro, é assassinado com 4 tiros de PT 380, o radialista Ronaldo Santana, quando este se dirigia a Rádio Jornal de Eunápolis, a rádio pioneira de todo extremo sul da Bahia, para a apresentação do seu programa de rádio. O fato aconteceu no dia 9 de Outubro, sendo que os autores dos disparos foram dois homens, que utilizaram como veículo de fuga, uma moto titan/verde com placa não anotada, sendo que até os dias de hoje os culpados ainda não foram punidos, apenas um dos acusados foi preso devido a outro crime cometido em Goiás. Ronaldo Santana, socorrido ainda com vida, faleceu no Hospital Jose Ramos de Oliveira, do também diretor da rádio em que Ronaldo Santana apresentava um programa policial e que denunciava desvios de verbas na prefeitura municipal.
No dia 9 de abril de l.998, aos 92 anos, faleceu em Salvador, o grande idealizador de Eunápolis, o
Dr. Eunápio Peltier de Queiroz. O Dr Eunápio, esteve a primeira vez na região, em 1.954, quando comandou uma comissão da então extinta Secretaria de Viação e Obras Públicas para inspecionar as obras da Br 101, e que com sua visão clínica, viu uma necessidade de o município crescer, então adquiriu de Ivan Moura, os primeiros 100 hectares de terras próximas a povoação. Tendo sido o precursor desta cidade que ele sabia que um dia cresceria e que somente estagnaria devido as más administrações. O Dr Eunápio Peltier de Queirós, foi a visão progressista que a região teve para que fosse transformado de maior povoado do mundo na cidade que é nos dias de hoje.
Em 05 junho de 1.998, foi firmado um convênio entre o município, o Cefet e a Uneb, para a implantação da primeira faculdade na cidade, instituição subordinada ao campus "X" de Teixeira de Freitas-Bahia, com curso superior de formação em letras, hoje existem mais faculdades, onde cursos como História, Turismo, Pedagogia e Letras, entre outros, estão sendo ministrados e colocados a disposição do alunado eunapolitano.
Neste gráfico de caracterização regional, vocês poderão conhecer os dados geográficos da cidade, que dista a 669 Km da capital Salvador, situada ao Sul da Bahia, sub-região do Extremo sul da Bahia, integra o que se denomina “
Costa do Descobrimento”, Eunápolis é a porta de entrada de Porto Seguro, pois oriundos de qualquer parte do mundo, para se chegar a Porto Seguro, todos tem de passar por Eunápolis, que limita-se ao norte com Belmonte e Itapebi; ao sul com Itabela; a leste com Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália; e a oeste com Guaratinga, e por ser o centro de toda micro-região, abriga a 8ª Região Administrativa que abrange os municípios de Itapebi, Itagimirim, Belmonte, Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro, Itabela e Guaratinga, o que garante sediar diversos órgãos administrativos do Estado.
Um território que abrange uma área de l.l93 Km2, que consta de 3 aglomerações urbanas: Gabiara, Mundo Novo, e Colônia além de localidades como Projeto Maravilha, Projeto Produzir, Roça do Povo, Santa Luzia, Ponto Bahia, Ponto Maneca, Bom Jesus, Caminho Feliz, Mãe de Deus, e o Mundo da Criança. Na sede do Município, a principal povoação, reside cerca de 85% da população, é formado por 22 bairros: Alta Vista, Antares, Centauro, Dinah Borges, Edgar Trancoso, Estela Reis, Gusmão, Itapoã, Ivan Moura, Juca Rosa, Minas Gerais, Moises Reis, Motor (o nome é devido ao fato de que, quando não havia energia elétrica, esta era gerada por um motor que foi instalado no referido logradouro, onde ainda hoje está instalada a central de distribuição da CHESF para toda cidade), Pequi, bairro mais populoso de Eunápolis, onde moram mais de 30 mil habitantes e tem todo tipo de comércio, Rosa Neto, Santa Isabel, Santa Lúcia, Sapucaieira, Thiago de Melo (Alecrim I e II), Urbis I, II e III, e alguns outros loteamentos ainda não reconhecidos oficialmente. Os povoados de Mundo Novo e Gabiarra tiveram origem antes mesmo da cidade existir, sendo que Gabiarra, é mais antiga e tem como data do seu aparecimento o século XIX, enquanto Mundo Novo está situado às margens da BR 101 e dista apenas 12 quilômetros de Eunápolis e sua criação data dos anos 40. Já o Distrito da Colônia data de 1.954 e foi criado a partir de um núcleo agrícola, que possuía um gabinete médico, um gabinete dentário, um clube de futebol, o Milionário Futebol Clube, com campo e sede e um cinema, inexistentes nos dias de hoje.
Esta é a Cidade de Eunápolis, a que outrora já foi o maior povoado do mundo, integra com Teixeira de Freitas-Bahia, o maior produtor de mamão “papaya” do mundo e grande maior produtora de frutas do Brasil, mas hoje perdeu esta denominação, devido a plantação de eucalipto na região, mas mesmo assim, espera por um futuro progressista condizente com os anseios de seus idealizadores. Porém, é o maior celeiro de artistas do mundo.

(Informações retiradas do “Anuário de Eunápolis” de autoria do historiador e jornalista Theoney Guerra, estudos, resumo e redação do radialista-redator e repórter Paulo Barbosa)

www.josehenrique.com
 

 

Copyright - 2004 - 2005,  José Henrique Barbosa - Advogado.

Última modificação: 06 junho, 2005